quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Tomás (nome fictício)

Por ti trocava as minhas convicções por vantagens a curto prazo.
Esticava os cabelos de caracóis anárquicos em suaves madeixas loiras, que puxaria para trás a cada dois segundos. Por ti, mudava o nome para Carlota, adicionava um Joaquina, mais um, dois, quem sabe até três nomes estrangeiros. E fazia com que me tratassem pelo diminutivo mais o nome mais sugestivo e importante. Por ti, ao teu lado, trocava o riso alarve pelo sorriso aberto, branco, branqueado, brilhante, na minha pele morena de solário. E substituía o subtil pelo sugestivo, trocava-te as voltas, entre insinuações e disfarces, num flirt manejado com arte. Por ti conduzia um smart. Preto, dois lugares, com o labrador pura raça no teu colo, mais a prancha no tejadilho, e prometo, ia a todos os teus treinos de râguebi. Por ti…aos teus pais, escondia o tolo orgulho de crescer nos subúrbios, Cascais! mentiria eu, em tom afectado, quando em coro me perguntassem onde nasci. Por ti, abdicava da cerveja, gelada, e só bebia vodka limão. Por ti punha de lado a ridícula necessidade de ser diferente e aderia ao padrão. Menina boa, rica família, um cavalo. Por ti, e por esse teu jeito desajeitado e preguiçoso de ser, criava uma conta no Facebook, deixava de lado os All-star gastos e só calçava Timberland, Merrel e uns flip-flop bem altos no Verão.
Por ti, fazia isto tudo, ou talvez…não.

2 comentários:

Zé-do-Telhado disse...

Estranho que sou, defendo que a mudar alguma coisa na Bolacha, que seja a assiduidade com que escreve. Os caracóis estão óptimos e o riso quer-se genuíno.

O Meu Outro Eu Está a Dançar disse...

muuuito giro. =)
Este texto já me serviu muito bem!
Fui Real para um Tomás. Mas ele preferiu ser Fictício...

(já tinha comentado antes, mas parece que não chegou aí)