segunda-feira, 5 de abril de 2010

Volto já

Só por aqui parei para limpar o fundo ao frasco, sacudir o pó das prateleiras e arejar este espaço onde se começava já a sentir o cheiro mofo e a bolachas bolorentas. Num gesto muito parecido ao daquelas pessoas optimistas que gostam de mudar a posição dos móveis, deitar fora as coisas velhas e abrir as janelas de par em par, para que, enquanto cantam um fadinho alegre, o sol entre vadio e se deixe cair nos azulejos frescos. Ou de uma outra forma qualquer, que esta sempre foi uma das minhas imagens de felicidade. Só por cá passei para pôr ordem na casa…estou com muita pressa. E mesmo que não a tivesse só vos podia falar destes dias-sim dias-não de Primavera, mais ou menos parecidos uns aos outros, alternadamente. Em que o ar se enche de doces possibilidades com a mesma intensidade com que se enche de fenos e outras partículas alérgicas esvoaçantes. Não me posso demorar. Nem perder-me ou divagar sobre estes dias me darem tanta vontade de ceder aos pequenos caprichos, às grandes vontades, de fazer o gosto ao dedo e já agora ao resto do corpo. De empreender em grandes aventuras ou render-me a uma preguiça contagiante de olhos perdidos no céu sem nuvens, e outras coisas igualmente poéticas e pirosas. Tenho mesmo de ir... andando. Deixar para outro dia o relato de como tenho gasto estes dias com o prazer sem culpa da gente despreocupada. Uma praia aqui, um gelado acolá, um passeio demorado sem horas para voltar, dizendo não obrigadinha a responsabilidades e obrigações. Talvez seja por isso que…desculpem lá mas não tenho tempo para conversas. Tenho muito que fazer. Ora adeusinho.

2 comentários:

Anónimo disse...

Ainda bem que cá voltaste :)

Lola *

Zé-do-Telhado disse...

Cheira a Primavera Inês =)
Perde-te por onde quiseres e cede ao que tiver que ser, não cortes é nas Bolachas, que a gente não merece.